Cia. YinsPiração

Criada em 2002, em Brasília, a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas possui uma linha de pesquisa voltada para a especialização de atores e criação de um teatro de vanguarda, que se revitaliza através do incentivo à construção de dramaturgia e trilha sonora originais. 

Possui, em seu repertório, dois curta-metragens, dois documentários, sete espetáculos, três viagens internacionais de intercâmbio e muitas demonstrações abertas com público, aproximando 6 mil pessoas. Estes encontros geraram excelentes críticas, algumas levando títulos como “Estética e conteúdo no Palco”.

A diretora Luciana Martuchelli é uma importante referência do teatro e do audiovisual da cidade, por seu trabalho teórico e estético, dona de uma metodologia e uma linguagem própria. Em mais de 10 anos de pesquisa, desenvolve seu método que busca presença e vulnerabilidade no palco, misturando principalmente teatro, cinema, artes marciais, yoga, contato e improvisação, tai chi, psicologia, física quântica, biologia, filosofia, danças hindus e mitologia arcaica.

Além das peças, a companhia mantém estudos freqüentes e cursos para atores (amadores e profissionais) no qual todo o elenco divide-se em buscas de materiais, textos e aulas de corpo – dança e teatro físico, dramaturgia e voz – canto e fala.

Entre os espetáculos criados pela Cia. Yinspiração estão: "O Equilibrista" (2015), "Fahrenheit" (2015), "Sonhos de Shakespeare" (2015), "The Big Heart & Eros" (2014), "Elizabeth Tudo Pode" (2011 a 2013), "Ars – As Mil Folhas Peladas Dos Poemas" (2003 a 2012), "João de Ferro" (2010), "Coisas de Alice" (2009), "A Página Em Branco" (2006 e 2007), "Até Que Morte Nos Separe" (2007) e "Medéa – Gaia Em Fúria" (2006). Todos com direção de Luciana.

Fotos (de cima para baixo): Marcelo Dischinger (A Página em Branco), Ricardo Calixto (Elizabeth Tudo Pode), Marcelo Dischinger (Medéa) e Paulo Lannes (Ars).